Deputada federal Flordelis.
Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Deputada federal Flordelis.

A deputada federal Flordelis dos Santos de Souza foi proibida pela juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, de fazer vídeos ao vivo na internet ("lives") mencionando testemunhas no processo no qual a parlamentar é ré por ser mandante da morte do marido, o pastor Anderson do Carmo.

A decisão foi tomada no fim da terceira audiência do processo, realizado nesta sexta-feira (4) no fórum de Niterói, na Região metropolitana do Rio de Janeiro.

A proibição originou-se de um pedido do advogado assistente de acusação, Ângelo Máximo, para que fosse decretada a prisão preventiva de Flordelis .

O requerimento foi feito na última segunda-feira com base em alegações de que a deputada havia ameaçado uma das testemunhas do caso — Regiane Rabello — em uma transmissão ao vivo.

No pedido, Máximo afirmou que Flordelis poderia ser presa, uma vez que o crime não possui qualquer conexão com seu mandato, por isso ela não teria imunidade parlamentar. O MP foi contra o pedido de prisão, que foi indeferido pela juíza.

A própria defesa de Flordelis, no intuito de evitar a decretação da prisão, solicitou à magistrada que fosse determinada a proibição de citar testemunhas em transmissões ao vivo.

Juíza fará acareação

A juíza Nearis dos Santos fará uma acareação entre duas testemunhas do processo no qual Flordelis é ré.

A decisão foi tomada pela magistrada após uma divergência nos depoimentos de Cristiane dos Santos, nora da deputada, e uma antiga frequentadora da igreja, Vivian. A acareação será realizada na próxima sexta-feira (11).

Segundo Regiane, Vivian relatou que a filha biológica de Flordelis — Simone dos Santos Rodrigues — também havia atirado no pastor . Segundo a testemunha, o disparo teria sido dado na genitália. Regiane contou ainda que André Oliveira, filho afetivo de Flordelis e ex-marido de Simone, segurou o pastor para que ele fosse alvejado.

Após as declarações de Regiane, Cristiana, que assistia a audiência , foi convocada pela juíza para depor naquele mesmo dia. No entanto, a mulher de Carlos Ubiraci negou que tenha contado qualquer coisa sobre o crime para Vivian.

Diante da declaração, Vivian foi intimada a prestar depoimento nesta sexta-feira. Na audiência, ela confirmou as informações prestadas por Regiane. Vivian afirma ter tomado conhecimento das informações por pessoas da casa da deputada .

A advogada Daniela Grégio, que defende Simone, solicitou a presença de dois delegados da Ordem dos Advogados do Brasil na audiência para garantir que as prerrogativas dos advogados não sejam violadas. Os dois delegados permaneceram na sala de audiência durante quase todos os depoimentos, à exceção das testemunhas que preferiram depor com o plenário vazio.

Na audiência desta sexta-feira, foram ouvidas seis testemunhas de acusação .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários