Adélio Bispo de Oliveira
Reprodução
Adélio Bispo de Oliveira deu uma facada em Bolsonaro durante a campanha eleitoral

O homem que  esfaqueou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante a campanha eleitoral de 2018 teria desistido de matá-lo ao deixar a prisão. Adélio Bispo de Oliveira recebeu tratamento psiquiátrico e está "calmo com as alucinações e apresenta mudança positiva de comportamento", de acordo com um funcionário da Penitenciária Federal de Campo Grande. As informações são da coluna de Amaury Ribeiro Jr., do portal UOL.

O plano fora da cadeia também inclua a morte do ex-presidente Michel Temer (PMDB). Os planos de Adélio agora incluem "viver uma vida normal", segundo o último depoimento que prestou em 31 de outubro de 2019. Nesse período, Adélio estava recebendo a medicação psiquiátrica.

Adélio costuma falar sobre a maçonaria e um funcionário da penitenciária afirmou que, na visão do detento, "até o presídio tinha" símbolos da fraternidade. A maçonaria tem ligação com homens de poder, com eventos sigilosos e rituais que são alvos de especulação.

Em seu último depoimento, Adélio Bispo disse que não pode agir para combater a maçonaria, uma vez que ela é "estruturada política e economicamente".

Admiração dos membros do PCC

A ideia de matar o presidente Jair Bolsonaro e Temer ao sair da cadeia teria surgido após Adélio Bispo ser aplaudido por membros do Primeiro Comando da Capital (PCC). O caso teria acontecido assim que o detento deu entrada na unidade prisional.

"Em razão da proximidade com os membros da organização, Adélio está [na época do depoimento] eufórico que finalmente ia conseguir matar Bolsonaro e o ex-presidente Michel Temer quando saísse da prisão com uma arma cedida pela facção", disse o instrutor de pilotos do PCC Felipe Ramos Morais no depoimento que prestou em 19 de agosto de 2019. Ramos é um dos detentos mais próximos de Adélio.

Ao mesmo tempo, também em depoimento, Adélio Bispo disse que procura se manter longe dos membros do PCC porque "não são muito confiáveis".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários