Agência Brasil

witzel
Carlos Magno/Governo do Estado do Rio de Janeiro
Governador afastado do Rio de Janeiro Wilson Witzel


O governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel , terá o prazo de 20 dias, contados a partir de hoje (10), para apresentar provas e solicitar perícia ao Tribunal Especial Misto que julga seu processo de impeachment . A denúncia contra Witzel foi aceita pelo tribunal na última quinta-feira (5), mas o acórdão da sessão só foi publicado na edição de hoje do Diário da Justiça Eletrônico do Rio de Janeiro.


O processo de impeachment está sendo conduzido por um Tribunal Especial Misto , composto por cinco desembargadores e cinco deputados estaduais. Witzel é acusado de ter cometido irregularidades na área de saúde, em seu governo. Com o recebimento da denúncia, o tribunal manteve o afastamento de Witzel do cargo de governador até a conclusão do processo.

O tribunal também decidiu que os subsídios de Witzel, como governador afastado, devem ser cortados a um terço .O acórdão publicado nestas terça-feira também determina que Witzel deve deixar a residência oficial dos governadores , o Palácio Laranjeiras, em até 10 dias.

Mas, segundo nota divulgada ontem pelo PSC, partido de Witzel, o governador afastado e sua família já deixaram o palácio e voltaram a morar em sua casa, no bairro do Grajaú. A nota informa que Witzel considera ilegal a ordem de retirá-lo do palácio.

“O governador e sua família sempre preferiram residir em seu imóvel familiar. Apesar da ordem ilegal, o Laranjeiras não será mais utilizado durante o afastamento de suas funções”, diz a nota do PSC.

    Leia tudo sobre: Impeachment

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários