Deputado federal Celso Russomanno falando ao microfone
Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Deputado federal Celso Russomanno, candidato à Prefeitura de São Paulo pelo Republicanos

O deputado federal Celso Russomanno , candidato à Prefeitura de São Paulo pelo Republicanos nas eleições municipais de 2020, voltou a oscilar negativamente em uma nova pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (5) e já empata com Guilherme Boulos (PSOL) e Márcio França (PSB).

O aliado do presidente Jair Bolsonaro na capital paulista foi de 20% para 16%. Enquanto isso, o coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) registrou 14%. França, por sua vez, ficou com 13%.

Já o atual prefeito Bruno Covas (PSDB), que disputa a reeleição, oscilou positivamente de 23% para 28%, se isolando em primeiro lugar na corrida para continuar no comando do Executivo municipal.

A pesquisa foi realizada entre os dias 3 e 4 de novembro e ouviu 1.260 eleitores. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos e o índice de confiança é de 95%.

Veja o resultado da pesquisa:

  • Bruno Covas (PSDB): 28%
  • Celso Russomanno (Republicanos): 16%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 14%
  • Márcio França (PSB): 13%
  • Jilmar Tatto (PT): 6%
  • Arthur do Val (Patriota): 4%
  • Andrea Matarazzo (PSD): 3%
  • Joice Hasselmann (PSL): 3%
  • Lexy Fidelix (PRTB): 1%
  • Marina Helou (Rede): 1%
  • Orlando Silva (PCdoB): 1%
  • Vera Lúcia (PSTU): não pontuou
  • Antônio Carlos Silva (PCO): não pontuou

Rejeição

Na análise dos percentuais de rejeição, as notícias também não são boas para Russomanno. No final de setembro, ela estava em 21%, subindo para 29% no levantamento do começo de outubro e a 38% na pesquisa Datafolha feita nos dias 20 e 21 de outubro. Agora a rejeição a ele está em 47%.

Já o prefeito tucano, que traz o desgaste de estar na cadeira para a disputa e de ser sobrinho político do governador João Doria (PSDB), viu o número de pessoas que dizem não votar nele de forma alguma oscilar de 31% para 25% no período. Boulos é rejeitado por 22% e França, por 14%.

No período, já com o horário eleitoral em plena vigência, Russomanno aprofundou seus laços com Bolsonaro, mesmo com as advertências de sua equipe de campanha.

Em contrapartida, Covas tem "escondido" Doria de suas propagandas. Ele foi eleito como vice em 2016 e assumiu a Prefeitura em 2018 após a saída do atual governador para a disputa do governo do estado de São Paulo.

    Veja Também

      Mostrar mais