whats
Allan White/ Fotos Públicas
WhatsApp fez disparo de mensagens durante as eleições de 2018


Uma reportagem da Folha de São Paulo , produzida pela jornalista Patrícia Campos Mello, revelou que o Ministério Público da 1ª e 2ª zonas eleitorais de São Paulo abriu uma investigação para apurar denúncias de disparos em massa por WhatsApp , além da extração de dados de eleitores pelo Instagram e pelo Facebook.


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) proibiu os disparos de mensagens em massa para objetivos políticos , mas a indústria de disseminação de mensagens eleitorais por WhatsApp continua operando, assim como em outras redes. Promotores de Justiça ouvidos pela reportagem apontam que os disparos podem ter violado a lei eleitoral e a Lei Geral de Proteção de Dados.

Os partido também serão notificados sobre as sanções admnistrativas e penais cabíveis para quem utilizar ferramentas de disparo em massa. Uma outra reportagem de Folha de S.paulo revelou que empresas estão oferecendo serviços de disparo aos candidatos a prefeitos e vereadores, com o objetivo de influenciar o voto. A chapa que utilizar essas ferramentas pode chegar a ser cassada, além de pagar multas.

    Veja Também

      Mostrar mais