Bolsonaro em ato que defende fechamento do Congresso Nacional e do STF.
Reprodução
Bolsonaro em ato que defende fechamento do Congresso Nacional e do STF.

A Polícia Federal (PF) abriu uma investigação para apurar se o governo financiou pessoas e páginas na Internet responsáveis pela propagação de atos contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF) . As informações são do jornal O Globo .

Um relatório da PF indica que pode haver ligação entre os atos antidemocráticos e o Palácio do Planalto. Os agentes estão investigando se a publicidade oficial foi utilizada para direcionamento de recursos públicos.

A investigação faz parte do inquérito que tramita no STF sobre a realização de atos antidemocráticos .

A PF teve acesso aos indícios através da CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) das Fake News do Congresso Nacional, que forneceu informações de que a Secom (Secretaria de Comunicação da Presidência da República) veiculou publicidade em sites que propagam ações antidemocráticas.

A delegada Denisse Dias Ribeiro afirma no relatório que o objetivo da investigação é saber se “essa ocorrência se deu por culpa ou por ação ou omissão deliberada de permitir a adesão da publicidade do governo federal , e a consequente monetização, ao conteúdo propagado”.

“Outro ponto a ser elucidado (e que complementarão a análise do material já em curso) é se essa conduta ocorreu por vínculos pessoais/ideológicos entre agentes públicos e os produtores de conteúdo ou mesmo por articulação entre ambos”, complementa Ribeiro.

Em nota, a Secom  informou que:

“1. A política de comunicação da Secom na distribuição de verbas publicitárias é estritamente técnica e segue os critérios constitucionais de impessoalidade, legalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

2 - Como já reiterado por diversas vezes pela Secom, inclusive ao jornal O Globo, a distribuição da publicidade digital oficial do governo federal é de responsabilidade do Google Ads, que utiliza inteligência artificial e distribui as peças de forma automatizada.

3. O interesse e o destaque dado à informação da investigação pelo O Globo é consequência de sua permanente campanha contra a política de Comunicação Social do governo.

4. Os veículos das Organizações Globo usam manchetes – como essa da edição de hoje do O Globo – para criar narrativas falsas, bem distantes da boa prática jornalística e atacar diariamente o Governo e seus ministros, com o objetivo de tentar desgastar a sua imagem.

5. A Secom respeita a Liberdade de Imprensa, assim como a Liberdade de Expressão de todo cidadão brasileiro e dos veículos de comunicação, mas condena esse tipo de campanha que não ajuda ao país e nem a democracia. 

6. A Secom continuará com seu trabalho técnico, cumprindo sua obrigação de informar a população das ações do governo federal, sempre respeitando os critérios constitucionais já elencados.”

    Veja Também

      Mostrar mais