Marcelo Crivella
Hermes de Paula / Agência O Globo
Prefeito Marcelo Crivella durante coletiva de imprensa

O processo de impeachment contra o prefeito Marcelo Crivella , do Rio de Janeiro,  será avaliado nesta quinta-feira (3) e pode ser impedido por uma ação da base de apoio do governo. Os opositores da gestão municipal estão temendo que os aliados de Crivella se ausentaram da sessão e gerem falta de quórum.

O processo foi aberto contra o prefeito do Rio após uma equipe identificada como " Guardiões do Crivella " que impedia a atuação da imprensa nos hospitais cariocas ser denunciada por uma reportagem da TV Globo.

É necessário que ao menos 26 dos 51 vereadores estejam presentes na sessão para que ela seja validada. Atualmente, Marcelo Crivella conta com uma base de 21 vereadores, mas existe um grupo de parlamentares do centro que não se posicionam de forma clara e podem ter a presença negociada com o governo.

Caso um quórum de 26 vereadores comparecer a sessão marcada para hoje o processo de impeachment será aberto e aprovado por maioria simples.

Uma outro cenário que pode ser estabelecido hoje é o comparecimento de vereadores da base de Crivella sugerindo que o impeachment não seja estabelecido, mas uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para investigar supostas irregularidades.

    Leia tudo sobre: impeachment

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários