edmar
Vera Araújo / Agência O Globo
Wilson Witzel e Edmar Santos, na época em que o oficial da PM ainda integrava o governo


O ex-secretário de Saúde do Rio de Janeiro, Edmar Santos, firmou um acordo de delação premiada com a PGR (Procuradoria Geral da República) e disse que vai usar gravações de conversas que teve com vários políticos.


Edmar Santos ficou preso por um mês e é invstigado pelo esquema de desvios de recursos da saúde destinados ao combate da pandemia. As infomrações foram obtidas pelo jornal O Globo. Segundo o jornal, Edmar teria se sentido fritado por ter sido apontado como líder do esquema pelo MP-RJ (Ministério Público do Ri de Janeiro). A PGR passou a apontar o governador Wilson Witzel (PSC-RJ) como um dos membros da cúpula do esquema. 

A subprocuradora-geral Lindôra Araujo já escreveu em parecer que Witzel é o líder do esquema. A delação de Edmar Santos foi homologada no STJ (Superior Tribunal da Jusitça) e o ex-secretário confirmou a existência de um esquema. Edmar disse que está à disposição da Justiça para revelar áudios de conversas com o governador Wilson Witzel  Everaldo Dias Pereira, presidente do PSC . Deputados da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) também terão conversas reveladas por Edmar. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários