Witzel
Agência Brasil
Comunicado foi divulgado pelo governador na manhã desta quarta-feira (15)

O acordo acertado pelo ex-secretário de Saúde do Rio de Janeiro Edmar Santos com a Procuradoria-Geral da República (PGR) para uma delação premiada envolve o governador Wilson Witzel  e os casos de corrupção na Secretaria do Estado de Saúde. Nesta quarta-feira, dia 15, o governo divulgou nota onde cita que, desde que surgiram as primeiras denúncias de possíveis irregularidades nas compras emergenciais e contratos firmados pela SES, Witzel "determinou a imediata quebra de sigilo desses documentos e abriu sindicância para apurar o autor do pedido de sigilo".

Na mesma nota, o governo ainda afirma que "o papel da imprensa é mesmo o de fiscalizar" o que acontece com recursos públicos.

"Witzel reitera também que, nesse sentido, sua administração foi pioneira ao adotar, no Rio de Janeiro, o SEI (Sistema Eletrônico de Informações), onde são lançados todos os contratos e pagamentos do governo do Estado do Rio de Janeiro. Witzel tem ainda a convicção de que o papel da imprensa é mesmo o de fiscalizar e acompanhar tudo o que está sendo feito com recursos públicos", diz a nota.

Em entrevista ao Globo, Witzel disse estar "tranquilo" em relação à delação do ex-secretário de Saúde Edmar Santos, que, segundo a colunista Bela Megale, entrega informações sobre corrupção na pasta envolvendo o governador.

"Se ele falou no meu nome, está mentindo. Não há a menor possibilidade de ele ter prova contra mim de ato ilícito. Estamos no início do processo criminal, e o que a Justiça tem feito tem que ser respeitado. Tem muita coisa mal explicada, como de onde veio o dinheiro (R$ 8 milhões em espécie encontrados durante a operação do Ministério Público estadual na qual o ex-secretário foi preso, na sexta-feira da semana passada)", disse Witzel, por telefone.

Veja o comunicado do governo Witzel na íntegra:

"O governador Wilson Witzel esclarece que, desde que surgiram as primeiras denúncias de possíveis irregularidades nas compras emergenciais e contratos firmados pela Secretaria de Estado de Saúde, determinou a imediata quebra de sigilo desses documentos e abriu sindicância para apurar o autor do pedido de sigilo.

Witzel reitera também que, nesse sentido, sua administração foi pioneira ao adotar, no Rio de Janeiro, o SEI (Sistema Eletrônico de Informações), onde são lançados todos os contratos e pagamentos do governo do Estado do Rio de Janeiro. Witzel tem ainda a convicção de que o papel da imprensa é mesmo o de fiscalizar e acompanhar tudo o que está sendo feito com recursos públicos".

    Veja Também

      Mostrar mais