Bolsonaro em live
Reprodução/Facebook
Bolsonaro tem sido alvo de críticas por sua política ambiental

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) acusou a imprensa de fraudar os números do desmatamento  na Amazônia . "Não é que estamos indo bem. Tem coisa para fazer? Tem, mas não é esse trauma todo", afirmou Bolsonaro durante sua tradicional live nesta quinta-feira (16). Nesta quarta, o governo proibiu as queimadas na região por 120 dias .

Nas últimas semanas, o governo federal tem sido alvo de críticas inclusive em veículos de comunicação internacional, o que, segundo o presidente, só acontece porque a imprensa brasileira dá atenção ao assunto.

Sobre as críticas, Bolsonaro ainda disse que a Europa é como "uma seita ambiental" que ataca o Brasil "de forma injusta" e movida por interesses comerciais.

"Nós somos o tempo todo acusados injustamente de maltratar o meio ambiente no Brasil. A imprensa daqui publica, a imprensa de fora republica, em especial a da Europa, e lá a questão ambiental é tido como uma seita. Aí a mesma imprensa que fraudou números republica aquilo para criticar o governo", disse.

O presidente também lamentou que a Medida Provisória 910, que tratava da regularização fundiária e ficou conhecida como "MP da grilagem", não tenha sido votada no Congresso.

De acordo com o Bolsonaro, a votação da MP não foi pautada porque "a esquerda ainda tem uma influência muito grande dentro do Parlamento". Como exemplo ele citou partidos como PT, PDT, Rede Sustentabilidade, PCdoB e PSOL, que teriam sido os responsáveis pela pressão que levou a proposta a caducar.

"Se tivesse sido aprovada (a MP 910), essas áreas seriam regularizadas e, uma vez detectado o foco de calor ou queimada, teria como saber se foi dentro da reserva legal, ou não, e quem é o dono daquela área, e aí você puniria", afirmou o presidente.

    Veja Também

      Mostrar mais