O presidente Jair Bolsonaro e o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta
Pablo Jacob/Agência O Globo
O presidente Jair Bolsonaro e o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta

No mesmo dia em que o Brasil passou das 40 mil mortes e 800 mil casos confirmados da Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro acusou o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta de adulterar os dados durante sua gestão.

O presidente afirmou que os  números passados por Mandetta eram “fictícios” e que ele deu uma “inflada” dos dados. A fala foi feito durante a tradicional live da quinta-feira (11).

Leia Também

Bolsonaro ainda ironizou os conselhos dados pelo ex-ministro na época para que a população ficasse em casa e o fato de Mandetta levar a ciência como base para tomada de decisões.

“Levando-se em conta o ministro anterior, esses números eram fictícios. E ele todo dia estava vendendo o peixe de ‘fique em casa’, ‘não saia, a curva tem que amansar’, ‘ciência, foco, foco na OMS [Organização Mundial da Saúde] ’. Olha o vexame da OMS aí. Gosto do Mandetta como pessoa, mas ali ele deu uma escorregadinha na questão da pandemia. Deu uma inflada”, acusou Bolsonaro.

Bolsonaro disse que Mandetta era um “cliente da TV Globo”, pelo fato de o ex-ministro conceder entrevistas à emissora em diversas oportunidades, e que por isso ele estava ‘empolgado’ em relação aos números.

“Ele foi empolgado pela Globo. Sabemos que ele era um cliente da Globo, gostava de dar entrevista para a Globo, mas nada pessoal contra ele, em outras áreas trabalhou muito bem, mas boa sorte ao Mandetta, mas houve exagero nos números da época”, concluiu.

Luiz Henrique Mandetta não se manifestou sobre as acusações.

    Veja Também

      Mostrar mais