Adélio Bispo
Reprodução
Adélio Bispo de Oliveira deu uma facada em Bolsonaro durante a campanha eleitoral

Na tarde desta quinta-feira (4), o Ministério Público Federal (MPF) concluiu Adélio Bispo, responsável pela facada contra o então candidato à presidência Jair Bolsonaro , agiu sozinho e pediu o arquivamento do inquérito, que é o segundo aberto para investigar o caso.

Leia também:

A decisão pelo arquivamento do inquérito acontece depois de um  relatório da Polícia Federal (PF) finalizado em maio apontar que Adélio " agiu sozinho , por iniciativa própria e sem ajuda de terceiros, tendo sido responsável tanto pelo planejamento da ação criminosa quanto por sua execução".

Segundo a investigação, o autor da facada não possuia conexões com ninguém em Juíz de Fora , cidade mineira em que o crime aconteceu. Além disso, não foram encontradas movimentações financeiras atípicas nas contas de Adélio e de seus familiares.

O primeiro inquérito que investigou o caso foi encerrado em setembro de 2018, menos de um mês após o atentado. Na época, a investigação concluiu que Adélio agiu sozinho e qua a motivação para o crime era "indubitavelmente política". 

    Veja Também

      Mostrar mais