dois frames
Agência Brasiil e reprodução de vídeo
Grupo divulgou dados de Bolsonaro e familiares

Após um pedido do ministro da Justiça, André Mendonça, a Polícia Federal instaurou na terça-feira (2) um inquérito para investigar o vazamento de informações pessoais de Jair Bolsonaro, filhos dele, ministros e outros bolsonaristas.

O vazamento, de responsabilidade do grupo Anonymous Brasil, ocorreu no domingo (1) pelo Twitter e ficou poucas horas no ar antes de ser apagado pela própria rede social por violar as regras e diretrizes. Além do presidente, dados de Flávio, Carlos e Eduardo foram divulgados, assim como da ministra Damares Alves e do ministro Abraham Weintraub.

Leia também: Eduardo Bolsonaro irá à PF fazer boletim de ocorrência e deixar celular

Nas redes sociais, Bolsonaro considerou o vazamento como uma “intimidação”. O ministério de Damares Alves afirmou que a medida era “totalitária e antidemocrática” e Weintraub pontuou que “querem nos calar”.

Segundo o colunista Guilherme Amado, da revista Época, o nome do delegado que conduzirá a investigação contra os hackers ainda não foi definido.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários