Eduardo Bolsonaro
Reprodução
Eduardo Bolsonaro

Deputado federal e filho do presidente, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) afirmou que irá à Polícia Federal (PF) ainda nesta terça-feira (2) para realizar boletim de ocorrência sobre o suposto  vazamento de seus dados pessoais e de outros membros de sua família . Eduardo disse que deixará seu celular à disposição da PF.

Leia também: PF irá investigar vazamento de dados de Bolsonaro, determina ministro da Justiça

"A gente tá vendo que é um vazamento criminoso. Qual o objetivo disso daí? É só para importunar, ficar recebendo mensagem no celular, ter que trocar de número", afirmou Eduardo Bolsonaro ao ser questionado por jornalistas.

"Eu vou na PF , eu pretendo passar lá ainda hoje para fazer o boletim de ocorrência e deixar à disposição o celular se o perito lá achar necessidade", disse o deputado.

Na noite desta segunda-feira (1º), um perfil nas redes sociais anunciou o vazamento de dados de Bolsonaro , de seus filhos, Eduardo e o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), e de ministros  e apoiadores. O grupo de hackers Anonymous Brasil assumiu o vazamento.

"Os dados foram soltos no dia 1 de janeiro, às 21h30, pelo @ AnonymouBrasil . Depois disso houve uma discussão com o Douglas [Garcia] e fomos suspensos", afirmou à Folha de S. Paulo o grupo de hackers internacional, Anonymous .

Leia também: Bolsonaro diz que vazamento é 'intimidação' e promete 'medidas legais'

Eduardo Bolsonaro afirmou que irá à PF na tarde de hoje, dependendo de sua agenda.


    Veja Também

      Mostrar mais