Henrique vieira
Reprodução Redes Sociais
Pastor Henrique Vieira ganha força dentro do Psol para disputar a prefeitura do Rio de Janeiro

Após o deputado Marcelo Freixo desistir de disputar a prefeitura do Rio, outro nome do PSOL começou a ganhar força dentro do partido: o do pastor Henrique Vieira . Professor e teólogo, ele já foi assessor de Freixo na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e vereador em Niterói.

Outros nomes colocaram a pré-candidatura internamente, como o vereador Renato Cinco e o deputado federal David Miranda. O nome de Vieira, no entanto, é visto como aquele que pode apaziguar as correntes dentro do partido porque foge às disputas internas.

Vieira é pastor da Igreja Batista do Caminho e também é ator. Esteve em cartaz com peças recentemente. Foi aluno de Freixo no ensino médio.

Leia também: Manifestantes pedem "Fora Bolsonaro" no Planalto e geram tumulto com governistas

"Marcelo Freixo, meu professor, amigo e companheiro de lutas e utopias, decidiu não se candidatar à Prefeitura do Rio de Janeiro este ano. Conforme publicou em suas redes, estará na linha de frente em Brasília, dedicando-se a construção de uma frente ampla e atuante em defesa da democracia. Seguirá na luta contra o autoritarismo de Bolsonaro e na defesa da causa do povo pobre deste país. Entendo e respeito sua decisão. Onde quer que esteja, será sempre fundamental", escreveu Vieira nas redes sociais depois que Freixo declarou ter deixado a corrida eleitoral .

Freixo desistiu da candidatura à prefeitura do Rio, como revelou o jornal O GLOBO , porque disse não ter conseguido reunir os partidos de esquerda. Nos bastidores, muitos avaliaram que essa decisão beneficia, inicialmente, o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM).

Bolsonaristas devem indicar vice de Crivella

Estrategista do prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) para a campanha pela reeleição, o ex-deputado federal Rodrigo Bethlem disse nesta terça-feira ao GLOBO que ainda não há definição sobre quem poderá ser vice na chapa. A indicação para o posto, no entanto, vai vir "da turma bolsonarista" e do Aliança para o Brasil, partido que o presidente Jair Bolsonaro tenta criar. Entre os nomes possíveis estão o de Rogéria Nantes, ex-mulher de Bolsonaro e mãe de Flávio, Carlos e Eduardo, além do secretário municipal de Ordem Pública do Rio, Gutemberg Fonseca. Sem conseguir viabilizar o Aliança a tempo das eleições, Rogéria, Carlos, Flávio e muitos apoiadores de Bolsonaro se filiaram ao Republicanos de Crivella.

Leia também: Congresso vai apresentar ao TSE plano de adiamento de eleições

"Não tem nada definido. O vice vai ficar a cargo da turma do Aliança, da turma bolsonarista. Eles não escolheram vice nenhum ainda", declarou Bethlem. "Rogéria é um excelente nome, mas se filiou a princípio para ser candidata a vereadora. Gutembeng é um bom nome, é um secretário atuante, próximo de Crivella e do Flávio. Tem boa relação com Bolsonaro. São dois nomes que estão filiados ao Republicanos", disse.

    Veja Também

      Mostrar mais