Bolsonaro leva ministros a manifestação na frente do Planalto
Foto: Reprodução/Redes Sociais
Bolsonaro leva ministros a manifestação na frente do Planalto

Após desistir de fazer um pronunciamento em rádio e televisão, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), apareceu neste domingo (17) no Palácio do Planalto, em Brasília. Ele observou e apaludiu uma manifestação organizada por apoiadores.

Ao lado de vários ministros e do filho, o deputado Eduardo Bolsonaro, o presidente do País acenou aos manifestantes e pegou crianças em seu colo para tirar fotografias. 

Estavam presente Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), André Mendonça (Justiça e Segurança Pulblica), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Onyx Lorenzoni (Cidadania), Tereza Cristina (Agricultura), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral da Presidência), Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia), Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Abraham Weintraub (Educação).

Bruno Covas anuncia fim do rodízio ampliado e volta do tradicional nesta segunda

"Participação espontânea e popular. Isso não tem preço. Agradeço a todos que torcem para o Brasil ocupe o destaque que ele merece. Nenhuma bandeira que atente contra a Constituição. O movimento está de parabéns!", disse o presidente.

Nas faixas exibidas diante do Planalto há mensagens como "não queremos FFAA [Forças Armadas] no poder, queremos Bolsonaro presidente", "deixe Bolsonaro trabalhar", "a vontade do povo é democracia" e "nossa bandeira jamais será vermelha".

O chefe do Executivo ficou na maior parte da manifestação na rampa e evitou se aproximar dos manifestantes, que carregavam faixas em seu apoio.

Em carta a Bolsonaro, secretários pedem sanção imediata de socorro a estados

A manifestação foi marcada por uma carreata pelas ruas de Brasília e reuniu centenas de pessoas, com boa parte fazendo uso de máscaras, equipamento de proteção essencial paara conter a proliferação da doença.

Por volta das 10h, os participantes do movimento se reuniam em frente ao Museu Nacional da República. 

Enquanto apoiadores do presidente quebram o isolamento social, única medida eficaz no combate à disseminação da Covid-19, o número de casos confirmados da doença continua a subir no Distrito Federal. 

Boletim mais recente da Secretaria de Saúde mostra que a capital tem 4.140 diagnósticos e 55 óbitos provocados pelo novo coronavírus. 

O Brasil tem 233.142 casos confirmados de coronavírus e 15 mil mortes. País já ultrapassou Itália e Espanha em número de casos. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários