Ministro da Economia%2C Paulo Guedes
Edu Andrade/Ascom/ME
Ministro da Economia, Paulo Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta sexta-feira (15) em entrevista coletiva para atualização das medidas de combate à Covid-19 que a "população vai punir quem usar cadáveres como palanque". O chefe da pasta também fez críticas à aqueles que, segundo ele, querem "saquear o gigante", fazendo uma referência ao Brasil que tenta de recuperar.

Durante sua fala, Guedes também criticou governos de esquerda e disse que "uma das economias que mais cresceu no mundo, foi desacelerando, foi perdendo potência. "Justamente quem mais dizia que cuidava de educação e saúde, quem devia cuidar de saúde e educação, deixou como legado as últimas colocações nos exames Pisa", afirmou.

Leia também: Imprensa "faz terror" com números da Covid-19, diz general Ramos

Em meio à pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2), o ministro chamou a atenção para a economia estar "sob ameaça". "Enquanto o problema da saúde não estiver equacionado, não conseguimos voar. Da mesma forma, sem uma economia funcionando, não conseguimos decolar. Essas duas asas não estão sincronizadas", comentou ele.

Guedes ainda fez comentários sobre as medidas de distanciamento. Ele disse que o isolamento social protege vidas, mas o isolamento econômico ameaça vidas brevemente. "Do ponto de vista de proteção da saúde, temos de estar afastados; do ponto de vista da economia, temos de estar absolutamente de mãos dadas", defendeu o ministro.

    Veja Também

      Mostrar mais