Ministro participa de reunião na Comissão de Educação
Geraldo Magela/Agência Senado
Ministro participa de reunião na Comissão de Educação

O Supremo Tribunal Federal acatou na noite da terça-feira (28) o pedido feito pela Procuradoria Geral da República para abertura de inquérito investigando uma denúncia de racismo atribuída ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, contra chineses.

A denúncia foi feita após o ministro utilizar as redes sociais para afirmar que a China se beneficiaria de forma proposital da crise causada pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2) no mundo. O texto publicado por ele foi apagado posteriormente.

Leia também: Weintraub diz que dará mais recursos a universidades que têm aulas na pandemia

No pedido da PGR, o vice-procurador-geral, Humberto Jacqes de Medeiros, afirma que Weintraub tem conduta compatível ao crime de preconceito, que pode ter punição de até três anos de prisão.

Agora, Weintraub deve ser ouvido como investigado em local e hora determinado pelo juízo. Após aberto, o inquérito tem prazo de 90 dias para conclusão.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários