Sergio Moro  se demitiu do Ministério da Justiça na última sexta-feira (24)
Marcos Oliveira/Agência Senado
Sergio Moro se demitiu do Ministério da Justiça na última sexta-feira (24)


O deputado Augusto Rosa , conhecido como capitão Augusto (PL-SP), encaminhou pedido para o ministro Dias Toffoli , presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), para que mantenha a segurança prestada pela Polícia Federal ao ex-ministro da Justiça Sergio Moro . Moro e sua família tinham escolta da PF desde a Operação Lava-Jato , quando era juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba, e a manteve durante o período em que esteve no governo. O parlamentar preside a Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado e a Frente Parlamentar Mista de Segurança Pública.

Com saída do Ministério da Justiça , Moro não tem mais direito à segurança da PF. No ofício, o parlamentar afirma que Moro tem renome nacional e pode ser alvo de ataques contra sua integridade física devido à atuação na Lava-Jato e no Ministério da Justiça, assim como sua família.

Leia também: MPF investiga interferência política de Bolsonaro no Exército

O capitão Augusto , como presidente da Comissão de Segurança , se tornou próximo a Moro ao negociar o pacote anticrime feito pelo então ministro no Congresso Nacional. Uma das principais preocupações de Moro durante a Lava-Jato, e mesmo depois de se tornar ministro, era com a segurança dele e de sua família.

O parlamentar afirma no ofício a Moro que o ex-ministro deve ser consultado para saber se pretende manter a escolta, algo que ele dificilmente recusará.

Ao aceitar ser ministro, Moro pediu ao presidente Jair Bolsonaro que, caso algo lhe acontecesse, não deixasse sua família desamparada.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários