Alexandre Ramagem, diretor-geral da Abin
Carolina Antunes/PR
Alexandre Ramagem, diretor-geral da Abin

O diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem, foi o escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro para assumir o comando da Polícia Federal (PF) no lugar de Maurício Valeixo , que foi exonerado de seu cargo na sexta-feira (24).

Valeixo tinha sido indicado pelo ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro , que acabou anunciando sua saída do governo após saber que o ex-diretor foi demitido.

Leia também: Policiais federais reagem: "Não permitiremos interferência política"

A exoneração foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) com assinatura de Moro, que disse que não havia como ele ter assinado o ato, uma vez que nem havia sido informado. Em edição extra do DOU, o Planalto fez uma correção do ato sem a assinatura de Moro.

O novo diretor-geral da PF é um nome próximo ao presidente Bolsonaro, tendo participado da sua escolta pessoal durante a campanha eleitoral de 2018. A decisão foi tomada em reunião no Palácio do Planalto entre o presidente e ministros.

Leia também: "É o caso de pedir impeachment", diz autor de denúncia de afastamento de Dilma

Ramagem também é um nome que agrada aos ministros da ala militar do governo federal. A Abin é um órgão subordinado ao Gabinete de Segurança Institucional (GSI), órgão que tem o general Augusto Heleno como seu ministro-chefe. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários