Na última quinta-feira (16), o novo ministro da Saúde, Nelson Teich, concedeu uma entrevista ao SBT . Durante a conversa, ele falou sobre suas ideias para o o combate à pandemia do novo coronavírus (Sars-coV-2).

Leia também: Enfermeira grávida morre de Covid-19, mas bebê sobrevive

Nelson Teich arrow-options
Reprodução TV Brasil
Nelson Teich

Ao lado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Nelson Teich reforçou a necessidade de colher informações sobre a Covid-19 e afirmou que testes em massa não significa que toda a população será testada. "O teste em massa não quer dizer que você vai testar todo mundo. Porque, se a gente fala da Coreia do Sul, por exemplo, que fez testes, ela testou menos que a Itália", disse.

Leia também: Covid-19: autópsia de vítimas mostra "agressividade impressionante" do vírus

Segundo o novo ministro, também há muita incerteza em relação a quando a pandemia do novo coronavírus irá passar. Para reforçar essa ideia, ele usou o exemplo da gripe espanhola, que teve três momentos de pico. Apesar disso, ele espera que logo surjam mais testes, ou que os testes fiquem mais baratos para a população.

Leia também: Covid-19: número real de infectados no Brasil pode ser até 15 vezes maior

Ao falar sobre a polarização da saúde e da economia em tempos de pandemia de Covid-19 , o ministro alega que as duas áreas deveriam trabalhar juntas e não separadas. "Toda vez que você trabalha coisas que deviam ser juntas de uma forma heterogênea, fragmentada, você diminui a eficiência de tudo o que você faz", ponderou Nelson Teich .

    Veja Também

      Mostrar mais