Ricardo Salles e Flávio Bolsonaro
Raquel Sá/Agência Senado e Agência Brasil
Ricardo Salles e Flávio Bolsonaro

O Twitter apagou publicações do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles , e do senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) que utilizavam um vídeo fora de contexto do médico Drauzio Varella sobre a crise do coronavírus . No vídeo, que é de 30 de janeiro, Drauzio diz que o Brasil não tinha casos registrados de contaminações .

A empresa considerou que as postagens violavam as regras de uso da rede social ao potencialmente colocar as pessoas em maior risco de transmitir o vírus.

O vídeo foi gravado por Drauzio com comentários sobre aquele momento da crise, quando ele disse, inclusive, que estava levando a vida normalmente e que não havia motivo para pânico.

Leia também: Olavo de Carvalho cria teoria da conspiração de que coronavírus não gerou mortes

Você viu?

Os tuítes de Flávio e Salles, no entanto, compartilharam o vídeo nos últimos dias, sem contexto, levando seguidores a acreditarem que o médico estava comentando a situação atual da crise no país, na qual há mais de 1.600 casos confirmados e 25 mortos.

Drauzio escreveu escreveu de volta a Salles pelo Twitter, pedindo responsabilidade ao chefe da pasta do Meio Ambiente.

Leia também: "Encaramos de maneira positiva", diz Doria sobre medida provisória de Bolsonaro

"Na posição de ministro, esperamos que o senhor, no mínimo, tenha a responsabilidade de se atentar à data em que esse vídeo foi publicado, uma vez que a situação em torno do coronavírus muda rapidamente", disse, por meio de seu perfil.

"Vale o que eu digo agora e o que direi nas próximas semanas: fique em casa o máximo possível", afirmou o médico.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários