Gleisi Hoffmann
Reprodução/Wikipedia
Gleisi foi hostilizada durante saída de hotel no Rio de Janeiro

O ministro Ricardo Lewandowski , do Supremo Tribunal Federal (STF), negou habeas corpus preventivos solicitados pelas deputadas Carla Zambelli (PSL-SP) e Bia Kicis (PSL-DF) pelo compartilhamento de um vídeo nas redes sociais no qual Gleisi Hoffmann (PT-PR) é hostilizada ao deixar um hotel no Rio de Janeiro junto com sua filha.

Os HCs preventivos foram impetrados após Gleisi apresentar petições à Corte pedindo envio de representação à Procuradoria-Geral da República (PGR) para que as deputadas sejam denunciadas por apologia ao crime.

Na decisão, Lewandowski diz que uma representação da petista contra as duas parlamentares não causaria "constrangimento ou qualquer limitação às esferas de direitos".

Leia também: "É a lei do retorno": Zambelli e outros deputados celebram ataque a Gleisi

O vídeo compartilhado por Zambelli e Kicis foi gravado no 29 de fevereiro. Em relação às imagens, Gleisi diz que foi atacada por hóspedes, que "além de proferir ofensas e insultos, partiram para ameaças e ataques físicos" contra a filha dela.

Na petição apresentada ao Supremo, a petista acusa Zambelli de "clara intenção de propagar o ódio" a ela, "atentando contra a sua honra e incitando a violência contra ela, extrapolando consideravelmente os limites da liberdade de expressão e da legalidade".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários