Jair Bolsonaro
Jorge William / Agência O Globo
Bolsonaro compartilhou vídeos que faziam ataques ao Congresso

O PSOL pediu à Procuradoria-Geral da República (PGR) que o Ministério Público Federal (MPF) investigue o presidente Jair Bolsonaro pelo compartilhamento de vídeos contra o Congresso . O pedido do partido é para que o MPF se debruce sobre a origem, o financiamento e a produção das gravações compartilhadas pelo presidente no WhatsApp para responsabilizar "Bolsonaro e seus aliados que também estejam convocando a população para atacar a democracia".

Segundo o partido, representantes do atual governo e Bolsonaro "não possuem qualquer apreço pela democracia e sequer reconhecem ou compreendem o papel de instituições como o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal para a consolidação do Estado Democrático de Direito".

Para a legenda, compartilhamentos de mensagens desse tipo "incentivam o acirramento político e ameaçam o funcionamento das instituições democráticas". Por isso, demandam investigações do MPF.

Leia também: "Se houvesse uma bomba H no Congresso, acha que o povo choraria?", diz Eduardo

Nos dois vídeos compartilhados por Bolsonaro, apoiadores são convocados para para participar de uma manifestação em sua defesa marcada para o dia 15 de março. Além da convocação, no entanto, também são feitas críticas ao Congresso Nacional.

Depois da repercussão negativa desse caso, o presidente pediu que sua equipe ministerial não endossassem a manifestação nem comparecessem a ela . A ideia é evitar o aumento da tensão do Planalto com o Legislativo e o Judiciário.

    Veja Também

      Mostrar mais