Claudio Lopes, ex-procurador-geral de Justiça
Reprodução
Claudio Lopes, ex-procurador-geral de Justiça

O Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio aceitou, por unanimidade, nesta segunda-feira a denúncia contra o ex-procurador-geral de Justiça do Rio Claudio Lopes , acusado de corrupção passiva, quadrilha e violação de sigilo funcional. Assim como ele, vão responder ao processo o ex-governador do Rio Sérgio Cabral ; o ex-secretário de Governo Wilson Carlos; e Sérgio de Castro Oliveira, o Serjão, um dos operadores do ex-governador.

O Ministério Público do Rio apresentou a denúncia em outubro de 2018 em que acusa Cláudio Lopes de receber R$ 7,2 milhões em propina. O objetivo seria "blindar" a organização criminosa de investigações no órgão comandado por ele.

Leia também: Cabral afirma que Adriana Ancelmo sabia da lavagem de dinheiro

Os desembargadores entenderam que havia a narrativa de ilícito penal, com a apresentação de provas suficientes para confirmar os termos da acusação.

Os magistrados analisaram o mérito do pedido de revogação de prisão de Lopes e afirmaram que não houve alteração fática desde a última decisão do órgão de novembro de 2018. O ex-procurador-geral foi solto em dezembro de 2018 por decisão do ministro Sebastião Reis, do Superior Tribunal de Justiça (STJ). os desembargadores retiraram o segredo de Justiça da ação.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários