Roberto Alvim, secretário de Cultura do governo Bolsonaro arrow-options
Reprodução
Roberto Alvim, secretário de Cultura do governo Bolsonaro

O Palácio do Planalto afirmou, nesta sexta-feira (17), que não vai se manifestar sobre o pronunciamento do secretário especial de Cultura , Roberto Alvim, que citou em vídeo trechos de um discurso de Joseph Goebbels, ministro da propaganda do regime nazista. 

Em nota, a assessoria de imprensa do Planalto afirmou que não vai comentar e que o secretário "já se manifestou oficialmente". Após a repercussão do vídeo, Roberto Alvim afirmou que houve uma "coincidência retórica", mas disse que não há nada de errado com o discurso. 

"Houve uma coincidência com UMA frase de um discurso de Goebbles (sic)... não o citei e JAMAIS o faria. Foi, como eu disse, uma coincidência retórica. Mas a frase em si é perfeita: heroísmo e aspirações do povo é o que queremos ver na Arte nacional", disse o secretário. 

Leia também: Maia pede afastamento de secretário de Bolsonaro após citação nazista

Além do trecho copiado do discurso de Goebbels, outra referência ao regime de Adolf Hitler é a trilha sonora do pronunciamento: a ópera "Lohengrin", de Richard Wagner. O compositor alemão era celebrado pelo líder nazista e teve grande influência em sua formação ideológica.


    Veja Também

      Mostrar mais