Tamanho do texto

O presidente se defendeu de críticas que tem recebido via redes sociais

Bolsonaro arrow-options
Isac Nóbrega/PR
Bolsonaro rebateu críticas que vem recebendo por conta do tema

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou neste sábado (4) que não atacou a operação Lava Jato quando sancionou a criação do juiz de garantias dentro do pacote anticrime . Segundo ele, a questão está pacificada.

Leia também: "Vá para Caixa", diz Bolsonaro sobre taxas de juros cobradas no cheque especial

"Parece que está pacificado a questão. Não houve nenhum ataque à Lava Jato. É uma lei agora que acredito vai demorar anos para ser colocada em prática e tem um lado bom", disse Bolsonaro .

O presidente reclamou que tem recebido ataques nas redes sociais pela medida e disse que vem sendo chamado de "traidor" por "especialistas em direito na internet": "Vetei 25 dispositivos e deixei lá o juiz de garantias , daí apareceu milhares de especialistas em direito na internet aqui. "Traidor", "acabou com a Lava-Jato", "tá protegendo o filho", o mundo caiu na minha cabeça".

O presidente disse que, em parte, as críticas vinham de pessoas de esquerda, mas que também foi criticado por apoiadores.

Leia também: Por proximidade, Brasil deve apoiar EUA em uma possível guerra contra o Irã

"A gente vai no perfil, uma parte é gente da esquerda, esquerda. Outra parte é gente como você que gosta de mim, é simpático, votou em mim, mas desceram o cacete sem fundamento. Eu tive dificuldade de entender o juiz de garantias com especialista de verdade do meu lado", finalizou Bolsonaro .