A deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) durante painel “As Políticas Ambientais de Bolsonaro e o Futuro da Floresta Amazônica” no Puck Building, em Nova York
William Volcov/Brazil Photo Press/Agencia O Globo
A deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) durante painel “As Políticas Ambientais de Bolsonaro e o Futuro da Floresta Amazônica” no Puck Building, em Nova York

Os deputados federais Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e Tabata Amaral (PDT-SP) vêm trocando farpas nas redes sociais nesta semana, após a parlamentar criticar a gestão de Abraham Weintraub à frente do Ministério da Educação e defender o método de alfabetização de Paulo Freire, alvo de críticas da família Bolsonaro. 

Leia também: Bolsonaro diz que TV Escola é esquerdista e chama Paulo Freire de "energúmeno"

O embate teve início após Tabata Amaral dizer, em entrevista ao jornal  El País , que dá nota zero a gestão de Weintraub. Eduardo, por sua vez, defendeu o ministro no Twitter e afirmou que a deputada vive "em outro mundo". 

"Vivo em um mundo onde não é normal um Ministério que diz que alfabetização é prioridade não fazer nada na área", respondeu Tabata. "Um mundo que reconhece a importância de Paulo Freire para a educação. Realmente tenho uma visão de mundo muito diferente do governo", completou. 


Você viu?


Na manhã desta quarta-feira (18), o filho do presidente voltou a responder e afirmou que a parlamentar tem "velhas ideias".

"Poderia me dizer qual é, neste mundo, a posição no exame do PISA do único país que aplica o método Paulo Freire? E tem gente que acha que esta é a deputada da nova geração que vai melhorar a educação. Não passa das velhas ideias, mas agora perfumada. Eis a esquerda limpinha", escreveu Eduardo Bolsonaro. 




    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários