Tamanho do texto

Titular da pasta da Justiça, Sergio Moro tem 53% de avaliação ótima/boa, número maior que o do próprio presidente da República, Jair Bolsonaro

homem sério arrow-options
Agência Brasil
Sérgio Moro

Titular da pasta da Justiça e Segurança Pública, o ex-juiz Sergio Moro é o ministro mais bem avaliado do governo Jair Bolsonaro, segundo pesquisa Datafolha divulgada no domingo. Conhecido por 93% dos entrevistados, ele tem a gestão avaliada como ótima/boa por 53% destes. O desempenho é regular para 23%, enquanto 21% consideram ruim/péssima. Os índices são melhores inclusive que o próprio presidente. Bolsonaro tem 30% de ótimo/bom, 32% de regular e 36% de ruim/péssimo.

O índice de Moro oscilou pouco desde julho, quando ele tinha 55% de ótimo/bom, mantendo-se firme mesmo após uma dura derrota do ministro no Congresso. Na semana passada, a Câmara dos Deputados aprovou uma versão alterada de seu pacote anticrime, sem o excludente de ilicitude e a prisão logo após condenação em segunda instância.

Leia também: Metade do País avalia combate à corrupção de Bolsonaro como ruim ou péssimo

De acordo com o Datafolha, Moro tem melhor avaliação positiva entre homens (59%), brancos (61%), moradores da Região Sul (64%) empresários (74%), pessoas com renda familiar mensal superior a dez salários mínimos (73%), evangélicos neopentecostais (61%) e católicos (55%).

A pesquisa também mediu a percepção dos entrevistados sobre os ministros Paulo Guedes (Economia), Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos), Abraham Weintraub (Educação), Ricardo Salles (Meio Ambiente), Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores).

Leia também: 80% dos brasileiros pelo menos desconfiam de falas de Bolsonaro, diz Datafolha 

Desses, Guedes é o mais conhecido (80%), e Weintraub, o menos (32%). As piores avaliações são de Weintraub e Salles , com 31% e 28% de ruim/péssimo, respectivamente. A melhor é de Damares, com 43% de ótimo/bom. Nesse quesito, Guedes tem 39%.

O Datafolha consultou 2.948 pessoas em 176 municípios entre quinta e sexta-feira da semana passada. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%.