Sonia de Fátima Silva Alves
Divulgação

Sonia de Fátima Silva Alves

Uma investigação da Polícia Federal aponta que o partido Democratas (DEM) desviou verbas públicas durante as eleições de 2018 com a maior candidatura laranja do País, da policial militar Sonia de Fátima Silva Alves, no Acre. As informações são da Folha de S.Paulo .  

Leia também: Witzel tenta retirar seguranças de bolsonaristas e Flávio critica: "Covardia"

Sonia concorreu ao cargo de deputada federal e recebeu pelo menos R$ 240 mil do diretório nacional do DEM. Para trabalhar na campanha, porém, ela contratou 46 pessoas e alugou 16 veículos. Além disso, recebeu R$ 39,5 mil em material eleitoral doado. A candidata, no entanto, só teve seis votos. O mais caro do País: R$ 46,6 mil por apoiador. 

De acordo com o inquérito, Sonia foi usada como laranja para desviar verbas para a campanha do deputado Alan Rick, presidente do diretório do partido no Acre e eleito com 22.263 votos. "Sendo Alan Rick o beneficiado direto com os gastos de campanha da candidata e tendo ele, ao mesmo tempo, controle do comitê financeiro, que é quem responde civil e criminalmente pelas irregularidades, parece sinalizar que, sem eximir os demais membros do comitê de parte da responsabilidade, Alan Rick Miranda é responsável pelas irregularidades identificadas", diz o relatório da PF. 

Leia também: Com hashtag #AlcolumbreRaboPreso, internautas criticam presidente do Senado

A assessoria de Alan Rick afirmou à Folha que Sonia foi escolhida para substituir uma candidata que desistiu da eleição, sendo assim, o valor alto da verba seria para reverter a situação de desvantagem."Além de ingressar tardiamente na campanha, a candidata enfrentou diversos contratempos, a exemplo de erros na confecção do material de propaganda e grave enfermidade", disse.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários