Tamanho do texto

Processo é referente ao pagamento de R$ 107 milhões em ação trabalhista que correu no TRT da 14ª Região (Acre e Rondônia). Denúncia é de 2017

Aliança pelo Brasil arrow-options
Reprodução / Redes Sociais
Advogado Luis Felipe Belmonte, segundo vice-presidente do Aliança pelo Brasil.

Terceiro na hierarquia do novo partido do presidente Jair Bolsonaro , que deve assumir o diretório de Brasília e será o segundo vice-presidente da executiva nacional do Aliança pelo Brasil , o advogado Luís Felipe Belmonte já foi denunciado pelo Ministério Público Federal sob acusação de pagar propina a um ex-desembargador que atuou no Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região, em Rondônia.

Leia mais: Aliança Pelo Brasil vai dar curso contra fraude com candidatas laranjas

A denúncia foi apresentada em maio de 2017 pela Procuradoria-Geral da República (PGR), por causa do foro privilegiado do então desembargador , e encaminhada neste ano para a Justiça Federal de Rondônia.

O Ministério Público Federal (MPF) na primeira instância ratificou os termos da denúncia e pediu o seu recebimento. Ainda não houve decisão sobre abertura da ação penal e, por isso, Belmonte não é réu no caso.