Tamanho do texto

Se o TSE não autorizar, porém, Bolsonaro disse que a formação da legenda deve demorar "longos meses" e partido deve ficar fora das eleições 2020

Jair Bolsonaro arrow-options
Antonio Cruz/ Agência Brasil
Jair Bolsonaro fala com a imprensa ao sair do Palácio da Alvorada

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (22) que se o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovar o uso de assinaturas eletrônicas para criar o novo partido, Aliança pelo Brasil , ele forma a legenda em um mês.

Leia também: Aliança pelo Brasil: O que pode acontecer com o partido de Bolsonaro

"Terça ou quarta, está prevista a coleta ou não eletrônica, se for positivo eu formo em um mês o partido, se não for vai demorar aí alguns meses, longos meses", afirmou Bolsonaro .

Bolsonaro também comentou sobre a possibilidade de assinatura biométrica, hipótese levantada pelo advogado Admar Gonzaga, que está conduzindo o processo de criação do partido junto com a também advogada Karina Kufa.

"Se passar só para biometria também ajuda, acho que a maior parte dos eleitores estão na biometria, daí a gente resolve isso aí", disse o presidente.

Leia também: Bolsonaro nega reforma ministerial e classifica parte da imprensa como “podre”

Atualmente, a coleta e validação das 491 mil assinaturas exigidas por lei é feita de forma física. Na quinta-feira, Bolsonaro afirmou que a nova legenda não vai participar das eleições municipais de 2020 se não houver assinatura eletrônica.