Tamanho do texto

Acusação sobre supostos boatos espalhados por Bebianno para que ele fosse vice na chapa do PSL em 2018 foi feita pelo próprio Phillipe Orleans e Bragança e negada pelo ex-ministro de Bolsonaro, que desafiou presidente

homem arrow-options
Valter Campanato/Agência Brasil
Bebianno

O ex-ministro Gustavo Bebianno divulgou um vídeo nas redes sociais na quarta-feira (14) com um tipo de “pronunciamento oficial” sobre o que ele classifica como "acusações" de Jair Bolsonaro contra ele. Segundo Bebianno, entre as mentiras arquitetadas pelo presidente estão tramas para ser vice-presidente da república na chapa dele no Partido Social Liberal ( PSL ).

“Mais uma vez o presidente falta com a verdade ao inventar e distorcer uma história que ele sabe que não é verdadeira”, afirmou Bebianno . Ele disse que não ouviu as afirmações diretamente do presidente, mas que confiava em deputados do PSL que repassaram algumas das supostas mentiras a ele. Entre elas, está a história de que Bebianno manipulou Bolsonaro com um dossiê contra o deputado “príncipe” Luiz Phillipe Orleans e Bragança.

Leia também: Bebianno mostrou "suruba gay" para eu não ser vice de Bolsonaro, diz príncipe

No dossiê, que teria sido o motivo principal para que Bragança não tivesse se tornado vice de Bolsonaro, haveria imagens do deputado “príncipe” em orgias e agredindo mendigos. Gustavo classificou as supostas evidências como "surreais e inacreditáveis".

No vídeo, o ex-ministro afirma que Bolsonaro chegou até ele afirmando que um general do exército tinha deixado o dossiê com "fotos num baile gay , de máscaras, participando de uma orgia e envolvimento com gangues de rua que agrediam mendigos”. Ele afirmou, ainda, que foi o responsável por avisar a Orleans que o rapaz não seria mais vice.

No fim do vídeo, Bebianno chegou a desafiar Bolsonaro: "Gostaria de passar por um detector de mentiras, eu e o senhor. Vamos ver quem é o mentiroso?".

    Leia tudo sobre: gay