Tamanho do texto

Socióloga de 52 anos estava com situação funcional indefinida desde que o general Joaquim Silva e Luna decidiu fechar escritório de Itaipu em Curitiba

Lula e Janja arrow-options
Ricardo Stuckert
Lula na saída da prisão em Curitiba ao lado da namorada Janja.

A socióloga e namorada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva , Rosângela da Silva, conhecida como Janja , assinou adesão ao Programa de Demissão Voluntária (PDV) da Itaipu. A soltura do petista e o anúncio do casamento fez com que ela pedisse afastamento da binacional. Janja trabalhou por quase 15 anos e tinha salário de R$ 20 mil. 

De acordo com a superintendente de Comunicação da Itaipu , Patrícia Iunovich, foi acertado o desligamento oficial de Janja da companhia em 2 de janeiro. "Até lá, ela vai usufruir de férias e dias de bonificação a que tem direito", disse à Folha de São Paulo. 

Leia mais: 'Não quero ficar falando mal de presidente', diz Lula em vídeo; assista

A socióloga de 52 anos estava com situação funcional indefinida desde que o general Joaquim Silva e Luna decidiu fechar o escritório de Itaipu em Curitiba. O general assumiu o comando da companhia no governo Jair Bolsonaro. 

Cerca de 120 funcionários da capital paraense serão transferidos para Foz do Iguaçu até 31 de janeiro de 2020. A futura esposa de Lula ainda não havia comunicado à direção se iria ou não.

Leia também: PT mantém segredo sobre deslocamentos de Lula como garantia de "segurança"

De acordo com a Folha de São Paulo, uma pessoa que acompanhou as negociações informou que o processo de Janja estava aguardando a soltura do petista para ser definida por ela. Com a saída do ex-presidente da cela da Polícia Federal em Curitiba ,  a decisão foi tomada de assinar a demissão. 

Ainda de acordo com a Folha, Janja usava as folgas e o horário flexível para visitar Lula. A socióloga trabalha no setor de responsabilidade social de Itaipu, sendo responsável por ações de voluntariado. A carga horária exigida no trabalho era cumprida integralmente e seu ponto era controlado de forma regular, assim como o dos demais funcionários.

    Leia tudo sobre: lula