Tamanho do texto

Presidente enviou solicitação à PGR nesta quarta-feira (30) e pediu que o presidente do partido, Luciano Bivar, seja retirado do comando da sigla

Luciano Bivar, presidente do PSL arrow-options
Agência Brasil
Presidente nacional do PSL, Luciano Bivar

O presidente Jair Bolsonaro pediu nesta quarta-feira (30) à Procuradoria-geral da República (PGR) o bloqueio do fundo partidário do PSL e a retirada do presidente nacional do partido, Luciano Bivar, do comando da sigla.

No mesmo pedido, Bolsonaro também solicitou a abertura de uma investigação para a "apuração dos indícios de ilegalidades" na movimentação do dinheiro que é repassado à legenda pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Leia também: Bolsonaro diz que PSL pode "se pulverizar" com a saída dele do partido

A solicitação foi enviada pelo presidente em um momento em que a disputa interna no PSL ultrapassa a esfera partidária. As duas alas da sigla partem para uma ofensiva na Justiça pelo controle da legenda e do fundo partidário. Até o final de 2019, o valor pode chegar a R$ 110 milhões.

Desde o mês passado, o PSL está dividido em duas alas, a bivarista e a bolsonarista. A legenda tem a segunda maior bancada da Câmara, com 53 deputados.