Tamanho do texto

Caso, que completou quatro meses no último dia 16, segue sem explicações

Família Flordelis arrow-options
Reprodução
Família aparece completa em fotografia

No próximo dia 31 de outubro, a Justiça do Rio de Janeiro dará início ao julgamento de Flávio e Lucas dos Santos, filhos da deputada federal Flordelis dos Santos Souza (PSD-RJ) que são acusados da morte do pai, o pastor Anderson do Carmo. O crime, que completou quatro meses no último dia 16, aconteceu dentro da casa da família em Pendotiba, na cidade de Niterói, no estado do Rio de Janeiro.

Leia também: Flordelis lamenta morte de cunhada e é criticada: "corja de víboras sem punição"

Na ocasião, o pastor foi executado em condições que ainda não foram completamente elucidadas pela investigação. O que se sabe até o momento é que o corpo apresentava 30 perfurações de projéteis, que a arma utilizada no crime foi encontrada no quarto de Flávio e que diversas pessoas, inclusive a própria Flordelis, tiveram algum tipo de envolvimento com os fatos ocorridos naquela noite, direta ou indiretamente.

Desde então, a polícia vem colhendo depoimentos dos integrantes da família do casal e de parentes do pastor morto, como a mãe e a irmã. Esta segunda acabou morrendo no início desta semana, vítima de uma anemia profunda que a acometeu desde o assassinato do irmão, fator que pode complicar um pouco mais o caso, uma vez que ela era uma das pessoas que acusava Flordelis de ser a mandante do crime e já havia aceitado a solicitação do Ministério Público do Rio de Janeiro para auxiliar no processo de julgamento dos dois filhos do casal.

Agora, resta aos investigadores conseguirem identificar o verdadeiro autor dos disparos, já que Flávio assumiu a autoria do crime e depois voltou atrás em seu depoimento, e definir o real papel de cada um na trama do assassinato do pastor. Alguns dos filhos do casal dizem que o plano teve Flordelis como ‘mentora intelectual’, mas ela nega, e aponta o filho Misael como uma das pessoas que “devem explicações à Justiça”.

Relembre os principais personagens do caso

Pastor Anderson do Carmo

Pastor Morto arrow-options
Reprodução/Instagram
Pastor foi morto no último dia 16 de junho dentro da casa da família em Pendotiba

Casado com Flordelis desde 1994, era um dos pastores do Ministério Flordelis, Comunidade Evangélica criada pela família em 1999. Juntos, tiveram três filhos biológicos e ainda adotaram outras 51 crianças. Foi executado dentro da própria casa no dia 16 de junho de 2019.

Deputada Flordelis

Flordelis arrow-options
Câmara dos Deputados
Flordelis foi a mulher mais votada no estado do Rio de Janeiro nas eleições de 2018

Deputada Federal pelo PSD, foi a mulher mais votada no estado do Rio de Janeiro nas eleições de 2018, somando mais de 196 mil votos. É pastora e tem extensa carreira como cantora de música gospel, com diversos CDs gravados. Apontada por alguns dos filhos como ‘mentora intelectual’ do crime, nega que tenha tido qualquer envolvimento na morte do marido.

Flávio dos Santos

Flávio arrow-options
Cléber Mendes /Agência O DIA
Flávio Rodrigues, filho da deputada Flordelis, foi preso após enterro; ele é apontado como um dos mandantes do crime

Filho biológico de Flordelis, admitiu ter matado o pai com a ajuda do irmão Lucas, que teria sido responsável pela compra da arma utilizada no crime. Preso no dia do velório do pastor, voltou atrás na confissão após conversar com advogados, mas permanece preso desde então. Será julgado no próximo dia 31 de outubro.

Leia também: Polícia do Rio vai investigar Flordelis por supostas adoções irregulares

Lucas dos Santos

Lucas arrow-options
Reprodução
Preso como cúmplice de Flávio, Lucas Cezar dos Santos de Souza é filho biológico do pastor e de Flordelis

Filho adotivo de Flordelis e Anderson, foi apontado pelo irmão Flávio como coautor e responsável por conseguir a pistola usada no crime. Em depoimento, disse ter recebido do celular da mãe a ordem para assassinar o pai. Está preso e será julgado junto com o irmão.

Maria Edna do Carmo

Mãe do pastor morto arrow-options
Gilvan de Souza/O Dia
Maria Edna Virginio de Oliveira junto ao tumulo do filho, o pastor Anderson do Carmo

Mãe do pastor Anderson, foi convocada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro para auxiliar no processo de julgamento dos dois filhos do casal. É uma das pessoas que acusa Flordelis de ser responsável por planejar a morte do marido, além de ter divulgado um rumor sobre um possível caso do filho com uma das filhas adotivas, o que poderia ter motivado o crime.

Michele do Carmo

Michele arrow-options
Luciano Belford / Arquivo / Agência O DIA
Debilitada desde a morte do irmão, Michele morreu na noite desta segunda-feira

Irmã de Anderson, ficou bastante debilitado após a morte do pastor. Antes de ser internada no Hospital Municipal Carlos Tordelly, para controle de uma forte anemia, chegou a prestar depoimento e também apontou Flordelis como mandante do crime. Seria assistente de acusação no processo de julgamento dos filhos do casal, mas morreu na última segunda-feira (21) por conta do agravamento da doença. Tinha 39 anos.

Misael

Misael arrow-options
Reprodução/Facebook
'Desafeto' da mãe desde o crime, Misael se afastou da família e até mudou de nome

Wagner de Andrade Pimenta, conhecido como Misael da Flordelis, é vereador pelo MDB e tirou o nome da mãe de sua alcunha após o crime e se afastou da família. Com isso, se tornou ‘desafeto’ e viu a esposa ser exonerada do gabinete de Flordelis. É mais um que acusa a mãe pelo crime, mas acabou recebendo o ‘troco’, quando a deputada disse que foi ele quem roubou o celular de Anderson no funeral e que teria “coisas a explicar à Justiça”.

Leia também: Retaliação: Flordelis exonera de gabinete dois pastores que saíram de sua igreja

Simone dos Santos

Simone arrow-options
Reprodução
Simone dos Santos teve relacionamento com o pastor antes dele se casar com a parlamentar

Filha biológica de Flordelis, teve relacionamento amoroso com o pastor antes de ele se casar com a deputada. Foi apontada por um amante como sendo a responsável por bolar um plano para assassinar o pai adotivo, a quem já vinha envenenando há cerca de um ano. O homem, inclusive, revelou ter sido convocado por ela para executar o crime, em episódio que teria sido presenciado por Flordelis: “quero matar esse demônio. Ninguém aguenta mais ele em casa”.

Marzy dos Santos

Marzy arrow-options
Reprodução
Marzy foi acusada de, junto com a irmã Simone, colocar veneno na comida do pastor Anderson

Filha adotiva de Flordelis, teria oferecido cerca de R$ 5 mil para o irmão Lucas matar o pastor Anderson. Seria responsável, junto com Simone, por colocar remédios na comida de Anderson, o que teria acontecido ao longo de quase um ano.

Lorrane Oliveira dos Santos

Lorrane arrow-options
Reprodução
Lorrane seria a responsável por se livrar do aparelho celular do pastor Anderson

Neta de Flordelis, filha de Simone com André Luiz de Oliveira, teria sido a responsável por se livrar do aparelho celular de Anderson. Em depoimento, taxista que a levou até uma praia da região disse ter visto ela jogar algo no mar antes de voltar para o carro.

Daniel dos Santos Souza

Daniel arrow-options
Reprodução/Instagram
Filho biológico do pastor Anderson do Carmo usa redes sociais para desabafar sobre o caso que abalou a família de Flordelis

Filho biológico do casal, saiu de casa um mês após a morte do pai. Chegou a organizar o ato em favor de Anderson, pedindo justiça por sua morte. Para a polícia, afirmou ter ouvido Flordelis dizer que “a hora do pai iria chegar” e que a deputada teria destruído o celular do pastor e apagado mensagens dos filhos Flávio e Lucas do tempo em que combinaram o crime.

Bárbara Lomba

Delegada arrow-options
Tânia Rêgo/Agência Brasil
Delegada é a titular da delegacia de Niterói e a responsável pelo caso da morte do pastor

Delegada titular da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, é a responsável pelo caso. Em entrevistas, disse não descartar a participação de nenhum dos integrantes da família. Acompanhou também a realização da reconstituição do crime, que contou com a participação de Flordelis e dos dois filhos do casal que estã presos, Flávio e Lucas dos Santos.

Leia também: 4 meses do caso Flordelis: saiba o que falta para desvendar a morte do pastor