Tamanho do texto

Em conversa com apoiadores, presidente pediu que rapaz “esquecesse” PSL e não quis conectar o nome dele ao do presidente do partido, Luciano Bivar

bolsonaro arrow-options
José Cruz/Agência Brasil - 26.9.19
Bolsonaro pede que estudantes indiquem livro de torturador para professora "esquerdista"

Um dia após críticas do presidente Jair Bolsonaro ao Partido Social Liberal (PSL), partido pelo qual ele foi eleito, pelo menos dois deputados decidiram deixar a legenda. A informação é da coluna do jornalista Guilherme Amado, da Época. 

Segundo Amado, o deputado Victorio Galli, que se uniu ao PSL com aproximação de Bolsonaro ao partido, afirmou que vai mudar de legenda e pretende ir ao Patriota até o fim do ano. O parlamentar é professor no Espírito Santo.

Leia também: Bolsonaro diz a apoiador que PSL está queimado e gera incômodo com Bivar

Além de Galli, a deputada Alê Silva, de Minas Gerais, também afirmou que estuda sair do partido e "em breve esquecer o PSL". A deputada afirma que sofreu ameaça de morte por parte do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro.

Críticas de Bolsonaro ao PSL

Em mais uma das conversas com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, em Brasília, na tarde da terça-feira (8), o presidente Jair Bolsonaro falou a um homem que se anunciou como pré-candidato no Recife que esquecesse o PSL. Ele disse, ainda, que “o cara está queimado para caramba lá” se referindo a Luciano Bivar, investigado por esquema de candidaturas laranja de mulheres nas eleições 2018.