Tamanho do texto

Senador só soube que políticos do partido participaram de uma entrevista coletiva ao lado do governador do Rio de Janeiro quando voltou da China

dupla arrow-options
Reprodução
Senador não gostou de saber que integrantes do PSL estiveram ao lado do governador em uma entrevista

De volta ao Brasil após dez dias em viagem à China, o senador Flávio Bolsonaro pretende se reunir com a bancada de deputados estaduais, no Rio, para reforçar a orientação de rompimento com o governo de Wilson Witzel.

Leia também: Advogados pedem revogação da prisão de filho de Flordelis: "não há provas"

Presidente estadual do PSL, Flávio Bolsonaro só tomou conhecimento nesta terça-feira (24) de que os deputados federais Major Fabiana (PSL-RJ) e Felipe Francischini (PSL-PR) participaram de coletiva de imprensa ao lado do governador, sobre o caso Ágatha, na segunda-feira (23).

Major Fabiana responde pela Secretaria de Vitimização e Amparo à Pessoa com Deficiência do governo Witzel, já Francischini se encontrou com Witzel na condição de presidente da Comissão de Constituição e Justiça ( CCJ ) da Câmara dos Deputados. Além da conversa que pretende ter com Major Fabiana, que ainda não decidiu se ficará ou não no governo, Flávio Bolsonaro quer se encontrar com os 12 deputados estaduais do partido. Mesmo após a determinação pela ruptura com Witzel, parlamentares do PSL resistem a fazer oposição ao Palácio Guanabara.

Na semana que vem, Witzel e Flávio deverão medir forças no projeto de desvinculação de receitas, que permite o remanejo de verbas e é considerado essencial pelo Palácio Guanabara. Nos bastidores, alguns deputados do PSL revelam a intenção de se ausentar do plenário no momento da votação para que o governo não conte com os seus votos, uma vez que, para aprovar o projeto, há necessidade de votos favoráveis.

Leia também: Abuso de autoridade: saiba quais vetos de Bolsonaro foram derrubados