Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel vistoria as armas do paiol do tráfico apreendido no Complexo da Maré
Cléber Mendes / Agência O Dia
Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel vistoria as armas do paiol do tráfico apreendido no Complexo da Maré

Os principais partidos da oposição entraram com uma ação no Superior Tribunal de Justiça (STJ), nesta segunda-feira (23), contra o governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel (PSC-RJ) por conta de sua "política de extermínio". 

Leia também: Decreto de Witzel tira mortes por policiais de índice de letalidade violenta

A ação foi assinada por Carlos Lupi, presidente do PDT, Gleisi Hoffmann, do PT, Carlos Siqueira, do PSB, Juliano Medeiros, presidente do PSOL, e Luciana Santos, presidente do PCdoB. Em nota conjunta, os partidos pediram que Witzel responda "pelos crimes que vem sendo praticados pela polícia militar do estado que governa, que ocorrem sob seu aval, estímulo e fomento". 

A decisão dos partidos foi feita poucos dias após a morte de Ágatha Félix , de 8 anos, que levou um tiro de fuzil por um policial militar no último sábado, no Complexo do Alemão. "A morte de Ágatha Vitória Salles Felix reforçou nossa certeza de que é preciso parar essa política de extermínio da população pobre e das periferias do estado do Rio de Janeiro", diz o texto.

Leia a nota completa: 

"Oposição entra com denúncia contra Witzel no STJ por política de extermínio da população pobre

Você viu?

A letalidade observada nas operações militares comandadas pelo governador do estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, tem despertado preocupação e revolta da sociedade civil em nível nacional e internacional. Sendo essa letalidade motivo de grande preocupação, PSOL, PT, PSB, PDT e PCdoB fizeram uma denúncia contra Witzel no Superior Tribunal de Justiça.

A truculência em operações policiais era uma das pautas defendidas por Witzel quando era ainda candidato nas últimas eleições estaduais. É assim que o governo do Rio de Janeiro atua desde a posse do atual governador, em janeiro deste ano.

A morte de Ágatha Vitória Salles Felix, de 8 anos de idade, com um tiro de fuzil nas costas, no complexo do Alemão, no último sábado (21) reforçou nossa certeza de que é preciso parar essa política de extermínio da população pobre e das periferias do estado do Rio de Janeiro. Ágatha foi a quinta criança morta em ações policiais neste ano.

No compromisso com a democracia,  com uma política de segurança pública responsável, com a defesa dos direitos da população vulnerável e com a vida das crianças, os partidos de oposição apresentam uma notícia crime ao STJ contra Wilson Witzel, para que responda pelos crimes que vem sendo praticados pela polícia militar do estado que governa, que ocorrem sob seu aval, estímulo e fomento.

A ação foi protocolada nesta segunda, 23. Esperam os partidos que haja uma resposta do Poder Judiciário para fazer cessar essa guerra aberta, cuja vítima é a sociedade."



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários