Tamanho do texto

Evento contará com a participação de familiares da parlamentar; pai, mãe e filha embarcam nesta quinta-feira a convite da prefeitura parisiense

Homenagem Marielle arrow-options
Reprodução / Divulgação / Google Streetview
Homenagem será inaugurada no próximo final de semana

O fim de semana reserva uma emoção especial para o seu Antônio , dona Marinete e Luyara Franco. Nesta quinta-feira (19), pai, mãe e filha de Marielle Franco, vereadora executada  a tiros em março do ano passado, junto com o motorista Anderson Gomes , no Estácio, Região Central do Rio, embarcam para Paris , na França, onde, a convite da prefeita Anne Hidalgo, acompanharão, no próximo sábado , às 10h15m (horário de Brasília), a inauguração do Jardim Marielle Franco , na Rua d'Alsace.

Leia também: Novo crime: neta adotiva de Flordelis foi registrada de forma irregular; entenda

Em abril deste ano, a Câmara Municipal parisiense aprovou a homenagem à parlamentar carioca , e o local escolhido para levar o nome de Marielle foi o jardim suspenso, que já estava em construção numa área próxima à estação de metrô Gare de l'Est.

"A expectativa é muito boa. Estamos felizes em poder participar, recebemos uma carta convite da prefeitura de Paris , linda. Acho que é uma oportunidade de o Brasil se unir pela democracia, pela resistência, por essa mensagem que a Marielle passa", disse Marinete da Silva, mãe da vereadora. Ela ressaltou o legado da filha.

"Uma homenagem como esta, num país democrático como a França , é muita honra para nós. É um reconhecimento, e é exatamente isso que nós ficamos felizes em saber. Que cada vez ela tenha um reconhecimento maior como defensora dos direitos humanos, porque, infelizmente, continuamos sem saber quem mandou matar minha filha", lamentou.

A família conta que os custos da viagem estão sendo pagos por ONGs. Uma delas, fez uma vaquinha online, que conseguiu arrecadar cerca de 2 mil euros, que auxiliaram no pagamento das despesas. Eles também cuidarão da estadia. Dona Marinete se emociona: "é minha filha que nos permite isso".

Mônica Benício , viúva de Marielle, também foi convidada para a homenagem, mas não poderá ir, pois terá compromisso no domingo, dia seguinte, com a Parada LGBT. Ela lamentou, mas escreveu uma carta de agradecimento à prefeitura de Paris, que será lida durante a inauguração.

"Que esse jardim aqui em Paris seja símbolo da primavera da revolução que segue em curso e não poderá mais ser detida.  É um sinal de que seguiremos espalhando pelo mundo o seu nome como sinônimo de força e beleza, como um chamado para a resistência contra as forças da brutalidade e do ódio", disse.

Leia também: Responsável por construção de prédios que caíram na Muzema é preso em Pernambuco

Além da presença da prefeita Anne Hidalgo, a inauguração do jardim deve contar ainda com coletivos, apresentações culturais e musicais, e a presença da deputada Renata Souza (PSOL), que era chefe de gabinete de Marielle Franco na Câmara Municipal do Rio.

"A Marielle ter um jardim na cidade luz demonstra que o seu brilhantismo iluminou o mundo. Em especial, para a luta contra as desigualdades sociais, principalmente as de gênero, raça e classe. Mari encarnou na sua luta política todos ideias de liberdade, igualdade e fraternidade. Uma simbologia muito potente e linda tê-la florindo um jardim francês", afirmou Renata.