Tamanho do texto

Eleito pelo PRP, senador foi obrigado a trocar de sigla por conta da cláusula de barreira, mas depois saiu do PSB e agora deve abandonar o Patriota

Jorge Kajuru arrow-options
WALDEMIR BARRETO/ AGÊNCIA SENADO
Eleito pelo PRP, Jorge Kajuru pode se filiar ao quarto partido desde a eleição


Eleito senador por Goiás nas eleições de 2018, o jornalista Jorge Kajuru deve se filiar ao seu quarto partido em 2019. Depois de vencer o pleito pelo PRP, ele foi obrigado a trocar de sigla já que o partido não alcançou a cláusula de barreira. Por discordâncias, trocou o PSB pelo Patriota e, agora, cogita aceitar convite ou do Cidadania ou do Podemos para conseguir se manter nas comissões que ocupa no Senado.

Leia também: Kajuru chama PGR de "goiana canalha" e ataca: "Melhor que Dodge, até um poste"

Na última terça-feira (17), ao comentar uma reportagem, Jorge Kajuru usou o Twitter para confirmar que está avaliando a mudança para o Cidadania ou para o Podemos. Ambos os partidos já tem representantes no Senado.

"O Podemos vai fazer parceria com o Cidadania, posso ficar livre para escolher qualquer um dos dois partidos", escreveu o senador.

Em entrevista recente ao iG , Kajuru já confirmava a sua vontade de mais uma vez trocar de sigla para conseguir se manter nas comissões que ocupa.

Leia também: Kajuru quer liminar do STF para reabrir impeachment de Gilmar Mendes e Lava Toga

"O partido precisa ter três senadores para o parlamentar fazer parte de comissões, ser presidente ou relator de CPI. Não vou sair. Só vou sair se o Alcolumbre ou o secretário-geral Luiz Fernando Bandeira de Mello Filho confirmarem para mim que eu vou ter que sair das comissões. Eu não quero sair [do Patriota]. São cinco comissões. Esse é o único problema que tenho com o Patriota , que é o único partido que tenho do coração porque é dirigido por três amigos", disse na época.

Atualmente o senador por Goiás é membro das comissões de Cidadania e Justiça, Assuntos Econômicos, Assuntos Sociais, Direitos Humanos e Serviços de Infraestrutura.

Lei permite que Kajuru troque de partido

O caso de Jorge Kajuru não se enquadra na lei de fidelização partidária, que impede que um parlamentar troque de partido durante o mandato. Isso porque a sigla pela qual o senador foi eleito, o PRP, não conseguiu alcançar a cláusula de barreira e, portanto, não pode exigir que o jornalista perca o seu mandato em troca de outro representante do partido.

O mesmo acontece com o PSB e com o Patriota, que não elegeram Kajuru e, portanto, não podem exigir a cadeira do senador.