Tamanho do texto

Residência, localizada no bairro da Freguesia, zona oeste do Rio, foi a casa da família há cerca de 15 anos; no local, agentes não encontraram evidências

Pastorzão morto e Florzinha arrow-options
Reprodução
Segundo denúncia, parlamentar teria escondido provas que a incriminavam em antiga casa da família

Uma denúncia anônima de que a deputada federal Flordelis dos Santos esteve em uma antiga casa da família, no bairro da Freguesia, Zona Oeste do Rio, após a morte do pastor Anderson do Carmo, levou a polícia ao local nessa terça-feira (17). O endereço foi um dos quatro onde agentes da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, responsáveis pela investigação do caso, estiveram para cumprir mandados de busca e apreensão.

Leia também: Projeto Ártemis: conheça a audaciosa missão dos EUA para colonização da lua

A polícia recebeu uma informação de que Flordelis esteve na residência na Freguesia acompanhada de duas mulheres. Segundo a denúncia, a deputada federal retirou do local pertences que objetos que poderiam incriminá-la.

Nessa terça, os policiais não encontraram nada na casa, que estava vazia. Nas grades de entrada do local há cartazes anunciando que o imóvel está disponível para ser vendida ou alugada. A assessoria de imprensa de Flordelis informou que a deputada não vai comentar as investigações.

Flordelis, os filhos e Anderson moraram na casa na Freguesia há cerca de 15 anos. O aluguel da residência, que tem nove quartos, era custeado pelos irmãos e empresários Pedro e Carlos Werneck. A casa nunca foi comprada pela família. No local, foi filmado o longa “Flordelis - Basta uma Palavra para Mudar”, filme sobre a história da deputada federal, lançado em 2009.

Na operação dessa terça-feira, a Polícia Civil mirou em quatro endereços ligados a Flordelis: além da casa ne Freguesia, os agentes estiveram o apartamento funcional da deputada na Asa Norte, em Brasília, no gabinete dela no Centro do Rio e na casa da família em Pendotiba, Niterói.Foram apreendidos os celulares de Flordelis e de duas netas da pastora , Rayane e Lorrane , além de um computador de Anderson.

Leia também: Conheça kaluta, o marsupial que morre após 'orgia sexual' de 14h

No dia 14 de agosto, a DH concluiu a primeira fase das investigações do assassinato do pastor Anderson do Carmo. Dois filhos de Flordelis - Flávio dos Santos Rodrigues e Lucas Cézar dos Santos - foram indiciados por terem participado do crime. A polícia abriu um novo inquérito para investigar a participação de duas pessoas no assassinato, entre elas Flordelis.

O pastor Anderson foi assassinado a tiros na casa da família, em Pendotiba, Niterói, na madrugada do dia 16 de junho. No próximo sábado, a DH fará uma reprodução simulada do crime.