Tamanho do texto

Declaração causou polêmica nas redes sociais; vereador pediu licença da Câmara Municipal nesta segunda-feira, mas não explicou o motivo

CXarlos Bolsonaro arrow-options
Gabriel Monteiro/Agência O Globo
Carlos Bolsonaro voltou a causar polêmica nas redes sociais

O vereador Carlos Bolsonaro gerou polêmica na noite desta segunda-feira (10) ao dizer, em sua conta do Twitter, que a transformação que o Brasil quer não será rápida por vias democráticas.

Leia também: Witzel provoca Bolsonaro e diz que falta liderança para lidar com o Congresso

"Por vias democráticas a transformação que o Brasil quer não acontecerá na velocidade que almejamos... e se isso acontecer. Só vejo todo dia a roda girando em torno do próprio eixo e os que sempre nos dominaram continuam nos dominando de jeitos diferentes!", escreveu Carlos Bolsonaro.

A mensagem foi postada após o vereador comentar sobre os esforços que, segundo ele, o governo do pai faz para acabar com "absurdos que nos meteram no limbo". De acordo com Carlos, o governo tenta colocar o Brasil "nos eixos", mas os "avanços são ignorados e os malfeitores esquecidos".

"O governo Bolsonaro vem desfazendo absurdos que nos meteram no limbo e tenta nos recolocar nos eixos. O enredo contado por grupelhos e os motivos cada vez mais claro$ lamentavelmente são rapidamente absorvidos por inocentes. Os avanços ignorados e os malfeitores esquecidos", escreveu.

Carlos concluiu afirmando que "como meu pai, também estou muito tranquilo e o poder jamais me seduziu. Boa sorte sempre a todos nós!" Em pouco tempo a postagem gerou críticas na rede social. O vereador também recebeu mensagens de apoio. Após a repercussão, ele voltou a se manifestar: "Agora virei ditador? Pqp! Boa noite a todos!".

Leia também: Flávio Bolsonaro se une a senadores de PT e MDB para lutar contra a Lava Toga

O vereador solicitou licença não remunerada da Câmara na última sexta-feira (6). O parlamentar enviou ofício ao presidente da Câmara Municipal do Rio, Jorge Felippe, mas o documento foi despachado nesta segunda-feira. Ele não explicou o motivo do pedido.