Tamanho do texto

Postagem do presidente veio após críticas da comissária da ONU a assuntos relacionados ao Brasil: "comissária se intromete na soberania brasileira"

Bachelet arrow-options
Reprodução/Facebook
Presidente Bolsonaro criticou "intromissão" de comissária da ONU em assuntos do Brasil

Na manhã desta quarta-feira (4), o  presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais para atacar a ex-presidente do Chile Michelle Bachelet, que afirmou, em entrevista, que o Brasil sofre uma "redução do espaço democrático". Na públicação, ele comparou a comissária da ONU com o presidente francês Emmanuel Macron e disse que ela está "atacando a soberania brasileira".

Leia também: Nova fase: filho de Flordelis assume ministério e retira nome da mãe da igreja

"Michelle Bachelet, Comissária dos Direitos Humanos da ONU, seguindo a linha do Macron em se intrometer nos assuntos internos e na soberania brasileira, investe contra o Brasil na agenda de direitos humanos (de bandidos), atacando nossos valorosos policiais civis e militares", afirmou Bolsonaro .

Em um segundo trecho, o presidente lembrou que o Chile só não se tornou "uma Cuba" porque os militares tiveram coragem de "dar uma basta à esquerda em 1973", implantando a ditadura comandada por Augusto Pinochet . No texto, ele ainda chamou o pai de Bachelet de "comunista".

"Diz ainda que o Brasil perde espaço democrático, mas se esquece que seu país só não é uma Cuba graças aos que tiveram a coragem de dar um basta à esquerda em 1973, entre esses comunistas o seu pai brigadeiro à epoca", finalizou o presidente .

Leia também: Em carta à família, Adélio diz ser vítima de satanismo e maçonaria

Pai de Michelle, Alberto Bachelet era general da Força Aérea e foi um dos militares que se opôs ao golpe que instaurou a ditadura de Pinochet no Chile em setembro de 1973. Após ser preso, ele foi torturado e morto apenas alguns meses depois, em fevereiro de 1974.