Tamanho do texto

Depoimento da ex-deputada era um dos últimos itens necessários para fechar primeira etapa do inquérito da PF na Operação Spoofing; D'Ávila afirma que se limitou a intermediar o contato entre o hacker e Greenwald

Manuela D'Ávila arrow-options
Omar de Oliveira/Fotoarena/Agência O Globo - 27.8.19
Manuela D'Ávila prestou depoimento sobre contato com hacker que invadiu celulares de integrantes da Lava-Jato.

A ex-deputada Manuela D’Ávila (PCdoB-RS) prestou depoimento na última quarta-feira (28) sobre seu contanto com Walter Delgatti Neto, hacker responsável pelas invasões aos celulares do ex-juiz Sergio Moro. A ex-parlamentar também entregou seu celular à PF para que seja realizada uma perícia no aparelho.

Leia também: Major Olímpio contraria governo sobre bolsas no CNPq e é chamado de esquerdista

O depoimento de Manuela era um dos últimos itens necessários para fechar a primeira etapa do inquérito da PF na Operação Spoofing. O hacker já havia admito que foi o responsável por enviar o material da Lava-Jato ao jornalista Glenn Greenwald , do “The Intercept”.

Quando as conversas foram publicadas e a Operação estourou, Manuela não estava no Brasil e afirmou que prestaria esclarecimentos quando voltasse ao país. Ela negou irregularidades no contatos com Delgatti Neto.

No depoimento, Manuela afirmou que o hacker a procurou dizendo que havia copiado conteúdo de celulares de integrantes da Lava-Jato . A ex-deputada afirmou que se limitou a intermediar o contato de Delgatti Neto com Greenwald.

Leia também: "Dinheiro sem limites", diz Palocci sobre propinas para Lula e PT

Há aproximadamente um mês, a defesa de Manuela entregou uma cópia da conversa entre a ex-parlamentar e o hacker. E, segundo informações do GLOBO, os diálogos mostram que a iniciativa partiu de Delgatti e ele insistiu no contato com D’Ávila.