Tamanho do texto

De acordo com a revista Veja, defesa do ex-presidente poderá acessar sistemas usados pela empresa para pagamentos de propinas; processo se refere a obras da empreiteira em Angola com supostas interferências de Lula

Ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva em entrevista na prisão arrow-options
Theo Marques / FramePhoto / Agência O Globo
Ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva em entrevista na prisão


O juiz titular da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, Vallisney de Souza Oliveira, autorizou que a defesa de Luiz Inácio Lula da SIlva passe a ter acesso a dois sistemas usados pela Odebrecht para pagamentos de propinas no Brasil e no mundo. A informação é da revista Veja .

Leia também: STF nega recurso da defesa de Lula sobre perícia em documentos da Odebrecht

Segundo a revista, a defesa de Lula pediu para ter acesso aos sistemas Drousys e MyWebDay para poder ver peças de acusação contra o ex-presidente referente ao processo que apura financiamentos indevidos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para obras da Odebrecht em Angola.

O ex-presidente já foi absolvido nos crimes de organização criminosa e lavagem de dinheiro no caso, mas ainda responde pela acusação de corrupção passiva  e tráfico de influência.

Leia também: Graça Foster encobriu desvios e favoreceu BTG Pactual e Odebrecht, diz PF

Segundo delatores, a Odebrecht utilizava os sistemas eletrônicos para organizar e despachar as propinas. A investigação chegou na Suíça, que descobriu repasses da empreiteiras em Angola.

Em delações, Lula foi citado como um dos responsáveis por facilitar os empréstimos dos BNDES a Odebrecht. Dinheiro que, posteriormente, foi utilizado em pagamentos de propinas.


    Leia tudo sobre: Lula