Tamanho do texto

Presidente afirma que organizações teriam queimado a floresta porque "perderam a boquinha" e com objetivo de prejudicar o governo; entenda

incendio amazonia arrow-options
Fernando Frazão/ABr
Queimadas na Amazônia subiram 82% neste ano

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quarta-feira (21), acreditar que o aumento das queimadas na Amazônia podem ser uma "ação criminosa" de ONGs para chamar atenção contra o governo e trazer "problemas para o Brasil". Ele também responsabilizou governadores da região pelo problema. 

Leia também: Quantidade de queimadas no Brasil aumenta em 82%

Bolsonaro afirma que as ONGs que atuam a favor do meio ambiente "perderam a boquinha", já que o governo bloqueou recursos do Fundo Amazônia. De acordo com o presidente, 40% eram destinados as organizações. "O crime existe, e isso aí nós temos que fazer o possível para que esse crime não aumente, mas nós tiramos dinheiro de ONGs. Dos repasses de fora, 40% ia para ONGs não tem mais. Acabamos também com o repasse de dinheiro público. De forma que esse pessoal está sentindo a falta do dinheiro", afirmou. 

"Pode estar havendo, não estou afirmando, ação criminosa desses 'ongueiros' para exatamente chamar a atenção contra a minha pessoa, contra o governo do Brasil. Essa é a guerra que nós enfrentamos", acusou. Questionado se há provas ou investigação sobre a afirmação, Bolsonaro respondeu que esse tipo de caso não possui registros escritos.

O presidente disse acreditar que a floresta foi queimada em locais "estratégicos" com o objetivo de enviar as imagens para outros países.  "Tem imagens da Amazônia toda. Como é que pode? Nem vocês teriam condições de todos os locais estar tocando fogo para filmar e mandar para fora. Pelo que tudo indica, o pessoal foi pra lá para filmar e tacaram fogo. Esse que é o meu sentimento", completou. 

Bolsonaro afirmou ainda que governadores da região Norte são "coniventes" com as queimadas na amazônia para colocar a culpa no governo federal. "Tem estados aí, que não quero citar, na região Norte, que o governador não está movendo uma palha para ajudar a combater incêndio. Está gostando disso daí".

Leia também: Ao lado do presidente, padre toca berrante para seguidores de Bolsonaro

"Não estou afirmando. Temos que combater o crime, depois vamos ver quem é o possível responsável pelo crime. Mas, no meu entender, há interesse dessas ONGs, que representam interesses de fora do Brasil", concluiu Bolsonaro.