Tamanho do texto

Os estados que apresentaram os maiores aumentos no número de queimadas foram Mato Grosso do Sul, Rondônia, Pará, Acre e Rio de Janeiro

Planeta

queimadas na Amazõnia arrow-options
Reprodução/Fapeam
Em 2019 já foram registrados 71.497 focos de queimadas

Dados do Programa de Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas indicam que as queimadas no Brasil aumentaram em 82% em relação a 2018, se comparadas com o mesmo período – janeiro a agosto – do ano passado.

Leia também: Cientistas fazem funeral e 'lápide' para geleira que derreteu na Islândia

Foram 71.497 focos neste ano, contra 39.194 no ano passado. É a maior alta e o maior número registrado em sete anos.

Os estados que apresentaram os maiores aumentos no número de queimadas em comparação com 2018 foram Mato Grosso do Sul, com uma alta de 260%, Rondônia, com um aumento de 198%; Pará, com 188%; Acre, com 176%; e Rio de Janeiro, com 173%. O Mato Grosso é líder no número de focos de queimadas, com 13.641 pontos, 19% do total do Brasil.

O estado de Rondônia vem sofrendo com uma sucessão de queimadas nas últimas duas semanas. No Pará, fazendeiros no sudoeste do estado anunciaram o “Dia do Fogo” no último dia 10, a desde então o Inpe registrou uma grande alta nos focos de incêndio na região.

Na tarde desta segunda-feira (19),  o dia virou noite em São Paulo, quando uma neblina escureceu a cidade por volta das 15h.

Leia também: Cientistas fazem alerta sobre 'chuva' de microplástico no Ártico

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), além da frente fria , a escuridão também foio causada pela fumaça de queimadas na região amazônica. Em entrevista ao G1 , o meteorologista Franco Vilela, do Inpe, disse que o material particulado oriundo da fumaça produzida pelos incêndios de grande porte que estão acontecendo na Bolívia, aliado ao ar frio e úmido que está no litoral de São Paulo, causou o escurecimento.