Tamanho do texto

Grupo que começou com 16 parlamentares conseguiu novos aliados e passou a ser uma "pedra no sapato" do presidente do Congresso, que pode ser pressionado a abrir CPI para investigar o Supremo Tribunal Federal

Lasier Martins arrow-options
Geraldo Magela/ Agência Senado
Lasier Martins é um dos líderes do "Muda Senado, Muda Brasil"


Na última terça-feira (13), o senador Lasier Martins (Podemos-RS) apresentou, em Plenário, o grupo “Muda Senado, Muda Brasil”. União de parlamentares que querem dar visibilidade a temas de grande repercussão, o que antes parecia apenas mais uma vertente no Congresso se tornou algo maior e já pressiona o presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

De início, o “ Muda Senado ” era formado por 16 parlamentares. Em menos de uma semana, já soma 21 dois 81 senadores. Com 27 assinaturas, por exemplo, já é possível pressionar o presidente a abrir uma CPI.

Leia também: "Se tivesse poder, botaria o Glenn Greenwald na cadeia", diz Jorge Kajuru

A primeira pauta, disse Lasier, é garantir que o pedido de impeachment do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli , seja discutido pela Casa. A possível abertura da CPI dos Tribunais Superiores é outro ponto que deve ser debatido pelo grupo.

“Que se reabra a discussão, para poder-se investigar tudo aquilo que vem sendo apontado em uma sucessão de casos com indícios de escândalos no cometimento de alguns ministros do Supremo Tribunal Federal”, disse.

Lasier aposta em senadores de primeiro mandato. Na visão do parlamentar, essa “nova política” se mostra favorável a discutir temas de relevância para o País, sem medo de que, para isso, precise enfrentar o Supremo Tribunal Federal.

Leia também: Parecer do Senado diz que Eduardo Bolsonaro na embaixada seria nepotismo

“Nosso movimento é de incômodo com a falta de combate a temas que vemos como de relevância nacional. Queremos dar início com a discussão do impeachment de Toffoli, mas existem outras questões em pauta”, afirma o senador gaúcho.

Em manifesto aberto, o “Muda Senado” pede que o Senado Federal atenda a três anseios das ruas: A votação do requerimento de abertura da CPI das Cortes Superiores; A tramitação de todos os processos de investigação e fiscalização; e A tramitação acelerada da PEC de Reforma do Judiciário.

Eleito presidente do Senado com grande apoio da ala “anti-Renan”, Davi Alcolumbre pode sofrer a sua primeira pressão desde que assumiu a cadeira. Boa parte dos membros do “ Muda Senado ” foram seus apoiadores na eleição e, agora, se sentem incomodados com a inércia do presidente em colocar discussões em pauta.

Leia também: Janaína Paschoal articula apoio de senadores para impeachment de Dias Toffoli

Veja quem são os senadores que aderiram ao “Muda Senado, Muda Brasil”:

  1.  Alessandro Vieira (Cidadania)
  2.  Alvaro Dias (Podemos)
  3. Arolde de Oliveira (PSD)
  4. Carlos Viana (PSD)
  5. Eduardo Girão (Podemos)
  6. Fabiano Contarato (Rede)
  7. Flávio Arns (Rede)
  8. Jorge Kajuru (Patriota)
  9. Lasier Martins (Podemos)
  10. Leila Barros (PSB)
  11. Luis Carlos Heinze (PP)
  12. Major Olímpio (PSL)
  13. Marcos do Val (Podemos)
  14. Oriovisto Guimarães (Podemos)
  15. Plínio Valério (PSDB)
  16. Randolfe Rodrigues (Rede)
  17. Reguffe (sem partido)
  18. Rodrigo Cunha (PSDB)
  19. Juíza Selma (PSL)
  20. Soraya Thronicke (PSL)
  21.  Styvenson Valentim (Podemos)
    Leia tudo sobre: impeachment