Tamanho do texto

Ex-governador prestou depoimento na tarde desta quinta-feira e deu detalhes sobre os contratos durante a sua gestão

Sérgio Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro arrow-options
Tânia Rêgo/Agência Brasil
Sérgio Cabral admitiu que recebeu propina da Funderj


O ex-governador Sérgio Cabral confirmou nesta quinta-feira (15) o recebimento de propina em mais um órgão durante sua gestão. Dessa vez, ele afirmou ter recebido vantagens indevidas de empreiteiras que tinham contratos na Fundação Departamento de Estradas de Rodagem do Rio de Janeiro (Funderj).

Leia também: Punição atrasa em 11 meses acesso de Cabral ao regime semiaberto

"Confirmo recebimento de valores indevidos tanto para campanhas eleitorais quanto para benefício pessoal. Não tenho a precisão (dos valores)", afirmou Cabral .

Em dezembro de 2017, Cabral, o ex-secretário Wilson Carlos, o operador Luiz Carlos Bezerra, o ex-presidente da Fundação Departamento de Estradas de Rodagem do Rio de Janeiro (Funderj) Henrique Ribeiro e seu ex-chefe de gabinete Lineu Martins foram denunciados pela força-tarefa da Operação Lava-Jato. Henrique Ribeiro e Lineu Martins foram presos na Operação C'est Fini.

De acordo com a denúncia, no período compreendido entre janeiro de 2007 e setembro de 2014, por, pelo menos, 75 vezes, o esquema no Funderj envolveu R$ 18.117.824,36 em propinas, em razão de contratos celebrados com a fundação.

Leia também: Lava Jato reúne Cunha, Cabral, Eike e mais presos famosos em Bangu 8

"O doutor Henrique se propunha a arrecadar no DER (como Cabral se refere ao Funderj), para campanhas e fora de campanhas, junto às empreiteiras que prestavam servico ao DER. Eram médias e pequenas empresas", afirmou Cabral , dizendo que o então presidente do Funderj não obtinha vantagens pessoais e a arrecadação era para o esquema.